Desperdício com o Dinheiro publico Refletores do Modulo esportivo Reinam Araujo ficam ligados a noite toda...

 

''Segundo informações de Moradores''

Desperdício com o Dinheiro publico Refletores do Modulo esportivo Reinam Araujo ficam ligados a noite toda ...

A iluminação pública nas cidades brasileiras, em via de regra, é integralmente custeada pelo cidadão pela cobrança da Contribuição para Custeio da Iluminação Pública. É de competência dos municípios, por via das suas respectivas Câmaras Municipais, estabelecer os parâmetros dessa cobrança, incluindo-se aí as isenções. Assim como a maioria dos municípios brasileiros pratica a cobrança conforme a faixa de consumo, exigindo o valor nas faturas mensais das contas de luz. Para os lotes a cobrança vem junto à guia do IPTU. A partir de janeiro deste ano, por determinação da ANEEL, a responsabilidade pela gestão da iluminação pública passou a ser das prefeituras. Daí vem a pergunta: têm os pequenos municípios condições de arcar com essa responsabilidade? Cidades de médio e grande porte têm, com certeza. Para o cidadão entender (já que é ele quem paga a conta) é preciso focar algumas dúvidas e suspeitas que pairam nessas relações entre as prefeituras e as concessionárias e debater novidades, já que rua escura é ambiente propício para a criminalidade. 

Informações Adicionais